.Cancele a Assinatura

.posts recentes

. Vamos ajudar o MSM - Movi...

. Serra recomenda “discriçã...

. Escolha de Índio para vic...

. Procura-se uma oposição s...

. O novo vice de Serra

. Tijolaço: Rede convoca Di...

. DUNGA em: Um Dia de Fúria...

. A cobertura de Lula em Is...

. FIFA elimina o Morumbi e ...

. Só São Paulo salva o tuca...

.subscrever feeds

.arquivos

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

Quarta-feira, 3 de Fevereiro de 2010

Ladrões de notícias

Por Eduardo Guimarães

 

 

Nos últimos dias, os meios de comunicação que tantos denunciam diariamente por “crimes” contra o direito do público à informação tomaram a decisão arbitrária e inexplicável de literalmente roubarem do público notícias das quais não gostaram.

 

O público de uma Globo ou de uma Folha ou de um Estadão foi privado dos números da pesquisa Vox Populi divulgada na última sexta-feira. Argumentaram, em off, que o dono desse instituto, Marcos Coimbra, seria “partidário”do PT.

 

Esses veículos, porém, não fizeram nenhuma restrição às pesquisas Ibope apesar de o diretor desse instituto, Carlos Augusto Montenegro, ter garantido, recentemente, que José Serra já estaria eleito.

 

A Globo foi a única emissora aberta a não divulgar também a pesquisa CNT-Sensus divulgada ontem, a qual, à semelhança da pesquisa Vox Populi, mostra Dilma Rousseff tecnicamente empatada com o governador paulista.

 

Como escrevo antes de saírem os jornalões de hoje, não sei se divulgarão a pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes. Acho que não irão tão longe quanto a Globo. Ou irão? Quando vocês estiverem lendo isto, a resposta já será conhecida.

 

O fato, enfim, é que todos esses veículos, e outros como eles, roubaram de seus públicos informações importantes só porque desagradaram a seus aliados políticos, o que permite supor que muitos outros tipos de notícia devem sofrer o mesmo destino.

 

Trata-se de uma conduta infantil da mídia Tomemos o caso da Globo, por exemplo. Milhões de telespectadores ficaram sabendo da pesquisa CNT-Sensus pelas outras emissoras, pelo rádio, pela internet e, hoje, ficarão sabendo pelos jornais.

 

Aí se explica a informação contida na pesquisa Sensus de que, de 1998 para cá, quando o assunto é política diminuiu vertiginosamente o percentual do eleitorado que dá crédito a tevês e jornais na hora de decidir em quem votar.

 

São condutas como essa que fazem com que depois de quase dois anos de bombardeio midiático Dilma Rousseff continue crescendo nas pesquisas e tenha se tornado a pré-candidata a presidente menos rejeitada.

 

publicado por Levy às 00:24
link do post | comentar | favorito
|

Sou um cidadão brasileiro que resolveu se aventurar na blogosfera por não aguentar mais a "ditadura da mídia". O título do blog “BRAZIL 21” é uma referência as grandes mudanças que estão ocorrendo no Brasil neste início de século, mudanças que arremessam o país as primeiras posições entre os grandes países do mundo dentro de uma ou duas décadas e Brasil com "z" pelo grande sucesso e reconhecimento que está tendo no exterior, mundo afora.

.Clima

.Sua velocidade

Velocimetro RJNET

.pesquisar

 

.Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.links

blogs SAPO